Dupla é presa após invadir casa e fazer família refém em Aparecida
julho 9, 2017
Irmão de torcedor morto na saída do São Januário chora ao falar do crime
julho 9, 2017

Cerca de 40 pessoas entre crianças e adultos foram resgatados no local. Dono da unidade fugiu durante operação.

A Polícia Civil está investigando denúncias de crimes como cárcere privado, tortura e até mesmo abuso sexual em uma clínica de reabilitação localizada em Anápolis, a 55 km de Goiânia. Cerca de 40 pacientes – entre crianças e adultos – foram resgatados do local pela Polícia Militar e Conselho Tutelar durante operação realizada na noite de sexta-feira (8). A unidade trata pessoas com dependência química e transtornos de comportamento.

A delegada Carla de Bem Monteiro, responsável pelo caso, já começou a colher os depoimentos dos internos. “São muitas crianças e muitos adultos ainda para ouvir. Mas nós vamos analisar se houve o cometimento de algum crime aqui em Anápolis”, explica.

O dono da clínica, Roberto Macedo, fugiu do local durante a operação. Segundo disse à TV Anhanguera o advogado dele, Giancarlo Vaz vento, não houve crimes na unidade e há exagero nas denúncias. Ele afirmou ainda que seu cliente irá se apresentar à polícia na próxima semana.

De acordo com o conselheiro tutelar Joanan Fernandes, os pacientes afirmaram que eram vítimas de vários crimes no local. Eles salientaram ainda que a clínica não tinha infraestrutura básica para cuidar das pessoas.

“[Eles denunciaram] abuso sexual, tortura. Eles relataram que todos os dias, depois do almoço, eles tinham que ser trancados nos quartos. Quando chegamos lá, eles estavam presos mesmos. [O local tinha] banheiro frio, falta de comida e de higiene”, enumerou.

A clínica, que antes funcionava em Aparecida de Goiânia, na Região Metropolitana da capital, não tinha autorização para atuar em Anápolis.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: