Médico diz que vídeo de funcionário negro acorrentado foi encenação, mas polícia seguirá investigando racismo